Bye, baby

2014 e algum mês.
Era 3h e eu acordei de um pesadelo. Ainda quando estava de olhos fechados, pude ver você se afastando de mim. Estávamos no meio de uma floresta e você de repente soltou minha mão e começou a correr na direção contrária, eu gritava seu nome mas não adiantou, você sumiu no meio de um monte de árvores.

 

Acordei, olhei para o lado e você não estava ali, não era um pesadelo, era a verdade. Eu estava com o rosto todo encharcado de suor, podia sentir no travesseiro todo molhado. Pensei em te mandar uma mensagem, mas desisti, não achei tão viável assim, afinal, o que eu diria? Quero você, não aguento mais esses dias, estão um verdadeiro tormento sem a sua voz, sem o seu toque. Era exatamente o que eu gostaria de dizer, mas tem uma maldita linha que separa isso da mensagem, maldita seja essa linha e quem a inventou, esqueceu que o coração quer falar do agora e do suor que o pesadelo de não ter você causou no meu rosto.
Não conseguia mais dormir, resolvi ligar a televisão, estava pausado naquele filme que ficamos de ver pouco antes de tudo acabar… Como é mesmo o nome… A culpa… Culpa alguma coisa… A culpa é das estrelas! Terminei de assistir, preciso dizer que chorei horrores, chorei até soluçar, sabe? Chorei. A culpa não é minha nem sua, sempre tem esse discurso e, agora, inventaram por aí que a culpa é das estrelas. No meio do filme falaram alguma coisa sobre infinito maior que outro… infinito particular. Que tolice a minha, acreditei por um ano e três meses que, o nosso infinito realmente seria infinito, mas era só mais um de muitos outros infinitos que irão se criar em minha vida, assim como na sua.
Bom, não te mandei a mensagem, mas escrevi isso aqui pois pensei também em mandar um e-mail, mas quer saber? Que se dane, já é um alívio falar por aqui. Também é um alívio depois de 6 meses saber que o nosso infinito que era um dos mais belos, esta agora em outro canto do meu quarto, talvez outros infinitos possam ser formados naquele que era o nosso canto.
Espero que você ache outro infinito também. Um beijo.
Anúncios

Playlist: Dias de Chuva

Oi, como vão as coisas aí?

Aqui em Santos a única novidade é que não parou de chover uns dias atrás. Como vão as coisas aí na sua cidade? Para esses dias o que é bom mesmo é ficar em casa, não é? Com as cobertas nas pernas e escutando um bom som ou vendo um bom filminho. Com essa chuva deu até uma preguicinha não é mesmo? Pensando nisso, resolvi montar mais uma playlist no spotify e compartilhar aqui com vocês algumas das músicas que estão por lá:

City and Colour – Killing Time

Coldplay – Everglow

Criolo – Me dê motivo (Tim Maia tributo – Nivea)

Bastille – Two Evils

Emicida – Alma Gêmea (feat. Rafa Kabelo) 

Bastille – Two Evils

Of Monsters and Men – Human

Espero que goste da playlist, aceito sugestões!!

Um super beijo da Bibs ❤

a imagem em destaque foi extraída daqui

Passageira

12/01/2013
As luzes que passam são rápidas, mas a pista que as comporta é longa e estática.
Acima dessas luzes, está o céu, que particularmente nesta noite, encontra-se claro.
Claro como se não fosse noite, parece que ainda é meio dia.
Por esta pista a luz maior do ônibus que me transporta corre! Corre! Corra! Corra que chegar eu quero, não por pressa à toa, mas por saudade boa…
Corr… cor… coração, aqui dentro, tum tum bate coração.
Aqui dentro, bem dentro, distante de pessoas desconhecidas que ocupam o resto das poltronas, aqui dentro bate e pulsa.
Nesta noite fria, não sei ao certo quantos graus fazem lá fora, mas aqui dentro há calor humano para embaçar o vidro e desembaraçar a mente.
Encosta no encosto e as vezes no vidro gelado pelo ar condicionado.
O céu estrelado está e com ele o meu ar de mar fica perto da entrada da cidade e assim, eu tiro minha cabeça do banco que tem um encosto e repouso no travesseiro, travesseiro combinando com o edredom colorido, como se fosse meu abrigo.

O lar das crianças peculiares – Resenha

Com um roteiro de Jane Goldman o diretor Tim Burton (1958) inovou em seu novo longa O lar das crianças peculiares (2016). Com traços de Alice no país das maravilhas e um toque que lembra Harry Potter As cronicas de Narnia: O leão, a feiticeira e o guarda roupa em determinados trechos (como na cena em que  Jake ultrapassa uma passagem secreta e na outra em que esta submerso na agua) o filme é o típico longa para a família inteira assistir, inclusive e principalmente as crianças. Estreou dia 29 de Setembro no Brasil, contando com algumas sessões ainda em português. O filme que traz toques de aventura e cenas de suspense extremo, conta com uma moral que será única para cada expectador, superando as expectativas iniciais de um filme que aparentava ser mais um de suspense.

O jovem Jake (Asa Butterfield) é o típico adolescente onde se encontra em crise e sofre bullying dos colegas na escola, mas trabalha para ajudar os pais em casa, pais estes que não olham muito para o garoto até a morte de seu avô, interpretado por Terence Stamp. Jake suspeita até o fim da morte de seu avô e acredita fielmente nas histórias que o mesmo contava para ele quando criança, histórias de terror sempre contadas antes do garoto dormir; porém nem o pai e muito menos a mãe de Jake acreditam nele, levando-o em uma psicóloga, achando que o garoto esta sofrendo de delírios pós morte de seu avô.

Jake insiste em fazer uma viagem para O lar das crianças peculiares e lá encontra crianças que são tão peculiares quanto ele mesmo. Com um roteiro incrível e música de Mike Highman e Matthew Margeson, baseado na obra de Ransom Riggs vale a pena assistir em 3D e da poltrona do cinema, corra para ainda ver #olardascriancaspeculiares.

qXQinDhDZkTiqEGLnav0h1YSUu8.jpg
Confira o trailer aqui

Playlist: Novembro

psiu, a imagem em destaque foi extraida daqui, isso daqui, clica aqui

Novembro mal começou e eu já tenho uma lista de músicas preferidas para escutar e compartilhar com vocês para o mês de novembro inteirinho: durante o banho, antes do trabalho, no caminho para o trabalho e na volta dele. Música é realmente algo inspirador e que completa a nossa alma em muitos momentos, principalmente no momento em que precisamos ficar quietinhos para organizar parte de nossas rotinas e de nossos dias. Esses dias eu fui para o trabalho e esqueci o fone de ouvido em casa, foi estranho mas até que foi bom escutar o barulho das pessoas, da catraca do ônibus e da chuva, confesso, mas ainda assim estava faltando alguma coisa que completasse o trajeto do trabalho, faltava música, então eu resolvi fazer uma playlist aqui para o mês de novembro das músicas que mais escutei até agora, parte delas está na playlist mudanças que criei no spotify, então bora conferir algumas?

1. Nick Jonas – Voodoo

2. Criolo – Ainda há tempo

3. ANAVITORIA – Cor de Marte

4. Tulipa Ruiz – Efêmera

5. 5 a seco – Pra você dar o nome

6. Zimbra – Trem

7. Chico Buarque – Construção

8. Sandy – Me espera (ft. Tiago Iorc)

9. Los hermanos – Morena

10. City and Colour – Map Of The World

Poeminha de Domingo.

psiu, a imagem em destaque foi extraída daqui, isso daqui, clica 🙂

Amaré,
Amar é
Ah! Amar
Amar até quando a maré encher e transbordar.
E quando a maré encher que ainda exista amor para pegar outro copinho e encher tudinho.
E assim… de pouquinho em pouquinho meu amorzinho vai completando outro potinho um pouquinho.

Segundando

psiu, a imagem em destaque foi extraída daqui, isso clica aqui (;

Caminhando ela vai

Andando ela vai

Em plena segunda, segundando.

 

Naquela segunda feira nebulosa eu achei que fosse te encontrar, mas não; não só não encontrei como o que encontrei foi eu mesma, num caco de espelho encostado em uma parede qualquer no meio daquela avenida onde costumávamos passear e caminhar, naquelas segundas. Me encontrei no espelho, na avenida e na vida, naquela segunda.