10.000

Oi, Bia. Como vai você? Espero que esteja bem. Já se formou? Quais são as perspectivas da redação de um jornal? Finalmente acho que você conseguiu adotar aquele cachorro, em? Ah… E aquele amor que se foi… Ele era muito bom, não era? Que pena que tudo acaba, como sofremos de amor na vida…
Essa é a breve introdução de uma carta que escrevi para mim há uns anos, talvez hoje eu já estivesse formada se não desistisse do bacharelado, mas não teria imenso prazer em ser tradutora… Estudar inglês a vida inteira? How are you? Fuck portuguese, I’m Americblablabla…
Quando criei o blog há quase 4 anos, não sentia ou via perspectiva para ele, tão pouco previa tantos acessos e leitores, próximos ou distantes. É com imensa felicidade que vejo no que minha vida se transformou nos últimos 4 anos.

– Já me formei na escola 
– Comecei – parei- voltei para a mesma faculdade (Letras, licenciatura, com muito orgulho e amor)
– Mudei de habilitação no curso 
– Peguei minha habilitação definitiva, amo dirigir. 
– Parei de estudar inglês mas preciso voltar
– Passei por mil empregos e estágios
– Continuo trabalhando 
– Já fiz duas tatuagens 
– Coloquei um piercing no nariz e um alargador na orelha esquerda
Nossa Bia… Quanta coisa, em? E o cachorro? Ainda vai adotar? Porque você não guarda dinheiro para morar sozinha em um cubículo, mas onde consiga enfiar todos os seus livros? É… Talvez seja uma boa ideia, em? 
Gostaria de agradecer imensamente todos vocês que param para ler os textos, comentam, opinam e até mandam e-mails. Respondendo de forma geral uma pergunta que muitos de vocês fazem
– Como faz para escrever? De onde você tira essas ideias? Como assim… Do nada? 
Gente, para escrever, leva tempo. O segredo de um bom texto? Ele não tem um fim, sempre muda, sempre volta, nunca é o mesmo. Eu não sou a mesma Beatriz de 4 anos atrás, meu cabelo cresceu, cuido mais das minhas unhas, continuo usando all star quase todos os dias, fotografia continua sendo minha paixão, escrever então… Nem se fala. Quem sabe eu consiga adotar um cachorro, me formar logo e passar a vida escrevendo em casa, para jornais e revistas.

Quer escrever? Começa, joga as ideias, depois leia e vá pontuando… Arrumando, organizando e, se não quiser… Não mostre para ninguém, guarde e um tempo depois leia. Escrever leva tempo, e é uma coisa tão antiga e única – pois cada um tem o seu jeito -, que nunca vai deixar de existir (ainda bem). Escrever faz bem para a alma e para o coração. Gostaria de deixar como uma observação meu agradecimento especial para todos os meus professores os quais ajudaram sempre no meu processo de escrita, fomentando-o e corrigindo sempre e sempre. 
Obrigada por lerem o blog, esse post foi bem alternativo mesmo, com a intenção de ser mais uma mensagem de agradecimento mesmo =) 
Obrigada por sermos mais de 10.000 sz