Abraços

Ele vem quando alguém se vai. Chega de repente, arrepia todo o nosso corpo, acelera o coração, alucina a mente. Quando estamos com saudade e os passos apressam em direção à pessoa querida/amada, ele é a primeira reação que temos. Quando precisamos desabafar aquele assunto que não desce de jeito nenhum, quando simplesmente precisamos dele, ele está ali. Ele pode ser matinal, fraternal, maternal, de vô/vó, de despedida, de amigos, de conquistas, vitórias, derrotas, desesperos e alegrias. Tem ainda aquele que deixa o perfume quando a pessoa se vai, e o que vem acompanhando de um beijo de bom dia ou boa noite. O abraço tem um efeito sobre os circuitos neurais do sistema nervoso autônomo. Diminui a liberação de hormônios de estresse (cortisol) e estimula a produção do hormônio da afetividade (ocitocina). O abraço melhora o funcionamento do sistema imunológico. 
Desde 2004, rola por aí um movimento social chamado: Free Hugs (Abraços Grátis), com a função de pessoas desconhecidas oferecerem abraços em locais públicos. A campanha teve início através de um australiano, cujo pseudônimo é: Juan Mann, mas virou febre em 2006 no videoclip da banda australiana Sick Puppies, e desde Março de 2007 conta com mais de 72 milhões de visualizações. No Brasil, de vez em quando saem matérias relacionadas ao movimento, mas dizem que por sermos tão receptivos e afetuosos, é nossa essa mania de abraçar todo mundo e a banda Detonautas, em sua música: Você me faz tão bem, incluiu no clipe imagens da campanha, hoje o vídeo já ultrapassa os 4 milhões de acesso. 
E você, já abraçou alguém hoje? Especialmente hoje, dê um abraço apertado… Nos próximos dias, dê abraços mais apertados ainda, afinal… Eles nunca são demais!
Feliz dia do abraço! 

Abaixo o link do clipe do Detonautas:

https://www.youtube.com/watch?v=9P5Jq6J6kvA
Anúncios

Conchinha

Seus pés espreguiçavam com a manhã recém chegada. O sol já ultrapassara o vidro da porta de sua varanda.  Ela acordou no instante em que ele alcançou seus olhos, ou tentou… Mas virou para o outro lado, pois ainda estava manhosa e muito preguiçosa. O despertador havia tocado três vezes e ela não cansava de apertar o soneca. Assim que virou, pôde sentir a respiração dele, que estava deitado de bruços, com a camisa cinza toda amassada. Quando ele abriu os olhos para observar o quão bela ela dormia, ela fechou os dela rapidamente, para ver se ele não percebia… Mas não havia como, já era uma disputa há quase três meses, ver quem dormia de forma mais bonita.
Ela virou para o outro lado novamente, e assim ele já sentia o corpo dela, mesmo que não fosse perfeito, era surreal o encaixe natural com o dele. A cintura dela, ele adorava… Talvez fosse a parte preferida para ele, pois assim ele podia passar a mão por cima e dormir de conchinha. O coração dela acelerava quando ele puxava ela  pra mais perto dele. Os dois dormiam tão gostoso, que nem mais o despertador escutavam… Afinal, ele havia desligado, pois o tempo não importava mesmo.

Mães de todos os dias

Você reclama que tem muito chocolate no seu leite, grita por ela 70 vezes ao dia, pede as coisas com voz manhosa, chora e pede colo, reclama internamente mas faz o que ela pede com o maior sorriso. Reclama que ela reclama demais, fica #chatiado quando ela esquece o que você pediu. Não tem nem um pouco de paciência pra ensinar ela como criar a conta do Facebook, mas ela teve paciência pra ficar horas esperando você escolher entre um caderno e outro. Ela é sua musa inspiradora, super heroína para a vida inteira. Assuma, sem ela nada e nem você, principalmente você, existiria. Ela é sensacional, faz você passar vergonha, mas daí sairão suas risadas mais espontâneas. Você diz que vai pagar mico na escola se ela for te levar até a porta, mas gostaria que te desse mais carona pra chegar mais rápido na festa ou na balada. Ela vai fazer aquela dança na frente dos seus amigos, mostrar seu álbum de neném ou comentar histórias da sua infância, não adianta implorar pra parar, isso é uma das coisas mais simples mas que dá mais gosto em ver ela comentar. 
Se você já cresceu, está morando fora… Aposto que assim como eu, daria tudo para ela estar em casa esperando você com o almoço ou jantar fresquinho! Mas não se preocupe, o final de semana é longo. Se você não a tem por perto, mas tem alguém que é como se fosse ela, pois criou e cuidou de você… Não esqueça de hoje, mais do que nos outros dias, reservar várias surpresas a ela, dar muito beijinho e carinho. Ela esperou nove meses para te dar uma vida inteira, um dia dedicado a ela… Não é mais empolgante do que o Facebook ou as redes sociais. Feliz dia das mães a todas vocês, mulheres heroínas de nossas vidas. 
Abaixo o vídeo que mais me deixou emocionada neste dia das mães. 

Leve até amar.

Sentado em sua cadeira verde escura, ele digitava sobre a máquina de escrever algumas palavras, todas sem sentido. Quando acabava, pegava a folha, recortava algumas que achava interessantes e poucas as quais faziam sentido juntas. Olhou através da janela, o inverno chegara. Nevava por toda a cidade, as árvores agora estavam cobertas com pequenos flocos brancos e suas pernas tremiam de tanto frio. Levantou após algumas horas, tirou a água que já fervia no fogo, colocou em sua caneca preta e escolheu o aroma do chá mais tranquilo que tinha dentro da caixa, camomila. Pegou a colher ainda molhada da louça recém lavada, mergulhou no açúcar e com alguns pontos molhados, afundou na xícara mexendo da forma mais vagarosa possível. Antes que pudesse tirar e bater três vezes como de costume, escutou a porta do prédio fechar, alguém chegar e subir rapidamente as escadas. Ele pôde sentir com seu coração que seu amor havia chegado. Largou a xícara, correu para o quarto, juntou as letras, formou palavras, pregou a folha no barbante que ia do espelho até a porta, apagou as luzes e acendeu as velas. Correu de novo para a cozinha, escutou ainda com o coração acelerado, alguém entrar. Pelos passos e o barulho da bolsa largada no sofá, não restava mais dúvida. Ela chamou, ele disse já vou. Engoliu o chá para criar mais coragem, foi até a garagem e pegou o embrulho pequeno e delicado. Chegou perto do pescoço dela, ainda arrepiado com o que havia lido. Ela voltou-se para ele que já estava ajoelhado… E com o cair da neve e as luzes que a vela fazia vez, ele pediu mais uma vez: Casa comigo?