Busque a felicidade que vem aí

Desde os tempos da repressão sempre foi muito difícil uma pessoa expressar-se sem ser presa ou torturada. Com os anos a repressão acabou e as pessoas começaram a dizer o que pensam sem medo e não ligar para o que vão comentar. Mas, quando na pratica acontece o tal: “Falo e faço” muitas pessoas são agressivas com o autor, principalmente quando o assunto é homossexualidade. Para a pessoa que tem uma opção sexual diferente é muito difícil contar para sua família, por medo da rejeição. A maior parte dos amigos quando ficam sabendo se afastam e não dão apoio.
Por que bater em quem anda na rua com seus parceiros? Até que ponto isso te encomoda? Só porque a pessoa está feliz? Se anda rebolando na rua, ou de mãos dadas com alguém do mesmo sexo, todo mundo olha. O que você tem a ver com isso e por que você se importa?
Essas pessoas são seres humanos. Uma parte do mundo ainda não consegue conversar, expor realmente seu ponto de vista, tratando quem tem opção sexual diferente como se fosse um monstro. É sim uma coisa natural, as pessoas que não querem/conseguem enxergar. Costumamos dizer que quando se trata de amor vale tudo. Então… Vale também mulher/mulher e homem/homem.
A escolha para a felicidade é livre e ninguém deve satisfação sobre isso. Querer ser feliz com uma pessoa do mesmo sexo não é anormalidade, anormalidade é não saber aceitar isso  em pleno século 21.
Aceitamos coisas estranhas como: O mundo viver em guerra; O ser humano falar que vai ajudar a preservar a natureza, mas continuar jogando lixo na rua. Porque não aceitar o fato de que pessoas do mesmo sexo vivam, tenham suas relações e constituam uma família? Seria mais bonito o mundo (mesmo com todas as guerras) se ao menos começassem a aceitar que felicidade NÃO tem raça, credo e sexo.

F e l i c i d a d e!
Anúncios