Infância Verdadeira

Pega-Pega, carrinho de rolimã, esconde esconde, mãe da rua, quebra cabeça, mana mula, barbie, lego, polly, joquempo, roba bandeira, policia e ladrão. Brincadeiras, personagens fizeram por muito tempo parte de nossas infâncias. Quem nunca cantou: “Fulano roubou pão na casa do João(…)” ou ainda “Coloca o dedo aqui, que a casinha vai fechar, é um dois três e já”? Eu não sei vocês, mas eu tive um amigo imaginário, um celular de brinquedo, o tênis que acendia a luz, disputava tazoo, comprava mini guaraná para ganhar pokebolas. Escutava todos os dias chapeuzinho vermelho para dormir, alugava todos os dias Cinderela e tinha que rebobinar a fita de video cassete para devolver. Comia o Mc Lanche feliz e me divertia muito com aqueles brinquedos que vinham. 
Muitos dos que vão ler esse texto, tiveram uma infância como a minha ou muito parecida. Eu me refiro á infância de verdade que nunca esqueceremos. Nossos irmãos/primos mais novos, infelizmente não nasceram em uma época como a nossa, que as coisas eram tão doces. Eles nasceram na época do dvd, televisão de plasma, computador/notebook, playstation… Eles são os chamados “Geração Z”. Infelizmente, não podemos evitar a forma como o mundo vai modificando-se rapidamente. Afinal, muitas coisas facilitam nossa vida ao mesmo tempo que nos prendem em casa/no trabalho. 
Podemos passar para eles um pouco da nossa infância, desalienar-los um pouco. Não precisamos muda-los, mas podemos enriquece-los com algumas coisas simples que até hoje não deixamos que morressem.
Nós ainda temos crianças vivas dentro de nós. Quando brigamos com um amigo, por exemplo, e falamos que nunca mais vamos olhar na cara dele, é a mesma coisa que quando dávamos o dedão e falávamos: “Belem belem to de mal até o ano que vem”. Não podemos voltar ao passado para poder dar a eles tudo o que tivemos, mas podemos dar um presente ensinando a ser simples, viver fora do conforto tecnológico. Ensina-los que uma rampa do prédio vira uma rampa de skate, que a praia serve para observar em volta coisas muito mais simples como o sol se pondo. Não precisamos do google para mostrar a eles uma foto de algo que está muito próximo de nós, podemos leva-los até isso. Ver e clicar são coisas diferentes. Podemos mostrar que, a verdadeira criança é aquela que mesmo caindo, se machucando e chorando… Acima de tudo, levanta e está pronta para a próxima.

Tempos Atuais

Hoje em dia, pessoas levam muito tempo para descobrir as coisas maravilhosas que existem fora de toda tecnologia avançada. Para algumas pessoas, cartas são as melhores maneiras para se corresponderem com alguém. Muitas vezes, todos os barulhos da cidade grande, deixam-nos a mil por hora,
         Quando conseguimos o que tanto custamos para ter, não ficamos felizes, ficamos frustrados, e queremos mais do que aquilo. Sabe por quê? Porque não são todos que enxergam a felicidade nas coisas mais simples da terra. Algumas pessoas se acham os donos do mundo, mas essas pessoas esquecem que ninguém é melhor do que ninguém. Você pode procurar um milhão de maneiras de ser feliz, mas só irá ser feliz realmente quando parar de se importar com maiorias e ver que a felicidade está em coisas pequenas como um abraço inesperado ou um beijo roubado. Acorde sorrindo, mesmo que esteja nublado e se olhando no espelho, diga: Bom dia flor do dia. Isso vai mudar o seu dia; Entregue um buquê de flores para um mendigo que mesmo com um dente ele lhe entregará o sorriso mais sincero.
         Não perca tempo planejando como pode ser sua vida daqui a 20 anos, se afinal você mal lembra ou sabe o que comeu no almoço. É bobagem ficar planejando a vida. É como eu sempre digo, abra a sua mente e relaxe. Ah! Aproveite enquanto você pode comer e beber, porque depois dos 50 ai ferrou geral. Saia da rotina alugue um fusca e viaje sem dinheiro. Dê risada de si mesmo quando cair, porque afinal você sabe que vai ter alguém para te erguer e rir com você. Se introse no meio de um jogo de futebol e marque um gol. Entre em uma piscina rasa e grite: AFOGAMENTO. Plante uma arvore, faça 60 minutos virarem 60 segundos com um: Eu te amo sincero. Abrace o mundo, se não conseguir, abrace sua mãe, é quase a mesma coisa. Coloque uma prancha em baixo do braço e finja que sabe surfar. Coloque algumas roupas preferidas em uma sacola, vá até a esquina só para dizer: Eu já fugi de casa. Compre um milhão de cd’s e grave você mesmo neles a sua trilha sonora. Por fim deixe as pessoas descobrirem qual é seu maior segredo para ser feliz, afinal: Assim a vida fica bem mais divertida!